15 de jun de 2012

8 ½ (1963)


O que acontece quando um dos diretores mais respeitados do mundo fica sem idéias? Então, sua idéia se torna em mostrar esta falta de inspiração nas telonas na forma de um filme quase autobiográfico. Foi o que o italiano Federico Fellini fez com 8 ½ que mostra um diretor que não consegue fazer seu filme por falta de idéias, ainda por cima com a pressão dos produtores e problemas com a mulher e a amante. O resultado podemos dizer que é um filme dentro de um filme.

A obra é de valor inestimável - e tem sido amplamente copiado desde então. O diretor sem ideias Guido Anselmi (Marcello Mastroianni), que acaba de realizar seu grande sucesso (alusão à La Doce Vitta, filme anterior de Fellini e sua obra prima) está em busca de seu próximo projeto. Ele enfrenta problemas com sua vida pessoal e uma série cada vez mais desconcertante de sonhos que parecem se misturar com a realidade. 

Guido não tinha roteiro para seu filme, ironicamente, claro, já que 8 ½ também não tinha roteiro definido. Os atores recebiam suas falas para o dia todas as manhãs, muitas vezes verbalmente. É um trabalho enigmático cheio de metáforas e simbolismos.

As atuações neste filme são transparentes. Na verdade, grande parte desse efeito é criado por Fellini que lança personagens como a si mesmos. Por exemplo, o personagem de Claudia é interpretada por Claudia Cardinale, o de Rossella por Rossella Falk, o de Connochia por Mario Connochia. Ao realizar uma obra metade documental e metade ficção, Fellini admite explicitamente a natureza autobiográfica da obra e, ao mesmo tempo, economiza tempo no elenco ajudando-os a compreender seus personagens.

Mas um elenco criativo não funcionaria sem um ator capaz de trazer à vida o caráter autobiográfico de Guido Anselmi, e que é brilhantemente interpretado por Marcello Mastroianni. A nuance, o humor e a arrogância evidente no desempenho de Mastroianni são percebíveis e nunca duvidamos de que Guido Anselmi é Federico Fellini.

Seria insuportável de assistir se tudo não fosse tão bonito e verdadeiro. Encontrar um artista que pode pintar com tanta precisão a sua própria paisagem psíquica e, em seguida, a vida a sua volta é um desafio. É o tipo de trabalho voluntário você não costuma encontrar voluntários para fazer. Recebeu os Oscars de Melhor Filme Estrangeiro e de Figurino. Ainda recebeu as indicações de Melhor Diretor, Roteiro Original e Direção de Arte.

8 ½ (Otto e Mezzo, 1963)
Direção: Federico Fellini
Roteiro: Federico Fellini, Ennio Flaiano, Tullio Pinelli e Brunello Rondi
Elenco: Marcello Mastroianni, Claudia Cardinale, Anouk Aimée, Sandra Milo, Rossella Falk, Mario Connochia, Barbara Steele

Trailer:

Leia Mais >>

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO